top of page
Sofia-logo-v7.png

Será a ilusão o oposto da desilusão?

Ontem, durante uma sessão, falávamos sobre desilusão.



A certa altura, a minha cliente diz: "Se eu me desiludi, foi porque um dia me iludi. Como é que eu não percebi? Que burra!" Eu respondi que não se trata de ilusão, mas sim de confiança. A outra pessoa não foi digna do mais precioso que podemos dar a alguém. Claro que também existem as expetativas e ilusões que acabam mal. Mas a base está numa entrega que não encontrou no outro a receptividade que ela tanto queria. Então, como arrumar uma desilusão? Refletirmos as duas sobre o tema. Podemos ir pela culpa ou pela integração. Todos temos em nós um manipulador e um manipulado. Aquele que erra e o que acerta. O que aposta e o que desiste. Consciente disto, aceito que aquilo que dei, dei. Aquilo que fui, fui. Se a língua não era a mesma, ou deixou de ser, é importante respirar, integrar aquilo que rejeitei em mim e seguir em frente, com dignidade. Porque essas lágrimas não são destrutivas, mas sim regenerativas. Esse é o poder daquilo que nos derruba. Obriga-nos a finalmente acordar. Gostei do brilho discreto, mas visivel com que a minha cliente saiu da sala. A sua recuperação começou.

Uma Leitura da Aura, clarifica.

O Reiki e Equilibro Energético, apazigua.

O Coaching Pessoal ,impulsiona.


Foto de Pixabay,

Comments


bottom of page