Sofia-logo-v7.png

Nos tempos de espera, não se arrumam as botas.

Preparamo-las sim, para estarem aptas para outros terrenos.



Às vezes, precisamos descansar os pés, limpar o pó que se agarra insistentemente ao corpo.

Precisamos de olhar melhor para as nossas capacidades, vontades e oportunidades.

A espera é cuidar do buraco no sapato, para que não volte a magoar os pés. É acreditar que os melhores viajantes são os que se sabem adaptar.

Por isso a espera torna-se necessária antes da concretização.

Possa a sua ser agora curta.

Cuide dos seus sapatos e nunca deixe de olhar o céu.


Foto: Pixabay