Sofia-logo-v7.png

Insistir ou desistir?

Há alturas na nossa vida em que nos sentimos a remar contra uma maré que nos devolve autênticas ondas da Nazaré. A expressão “ir no fluxo” leva a um lugar seco e árido, onde batemos com a cabeça desamparadamente. A confiança, essa, não precisa de água para se afundar e a vontade desfaz-se num nevoeiro sem linha do horizonte.




Chegados a este ponto, uma decisão precisa ser tomada: Devemos insistir ou desistir? Vale a pena continuar a apostar em algo que parece ter morrido? Ou será que não morreu de facto e apenas precisa de um novo reposicionamento? E se sim, qual?

Eis a questão. E essa, mesmo que pareça para si um chavão, tem de ser respondida bem fundo no seu coração. Porque nem sempre a lógica é a melhor conselheira. O sonho consegue ser louco o suficiente para atravessar paredes e fazer explodir cascatas. Desde que se encontre com o entusiasmo, aquela luz que tudo ilumina e tudo consegue.

Por isso, se se encontra nesta encruzilhada, experimente fazer uma caminhada solitária à beira mar ou rio. E sinta, sinta bem no fundo. O que encontra nesse lugar tão profundo em si? Será que o que sente perdido ainda respira?

Observe-se com os olhos da alma. Dá por si a sorrir? De seguida observe o seu olhar ao espelho. Ainda brilham os seus olhos? Agora observe o mar, as ondas, as gaivotas. Escute o som da água. Sinta o vento na sua cara. Feche de novo os olhos e vire-os para o céu. Peça uma luz, por pequena que surja. Algum insight? Talvez precise de ajuda na sua caminhada. Se me escolher a mim, cá estarei. Se for outra a sua opção, não a exclua.

Não há impossíveis quando queremos muito, com todas as nossas células. Agora, algumas podem estar cansadas. Será que precisam de um empurrão ou vence esse mesmo cansaço? Será tempo de mudar ou reajustar?

Seja o que for que o seu coração lhe soprar, a vida está cheia de oportunidades. Acredite, o vazio é sempre um ponto de partida. Nunca de chegada.


Uma Leitura da Aura devolve-lhe o entusiasmo;

O Coaching Pessoal, a intuição;

O Reiki, a coragem.



Imagem de Jona Bartholdy por Pixabay